ZaiabeatS - Anonimato lyrics

Published

0 246 0

ZaiabeatS - Anonimato lyrics

Refrão 2x Louco não consigo an*lisar os fatos Pra ter uma vida boa tenho que rever meus atos É preciso fazer algo pra sair do anonimato E mostrar pra todos que sou mais que um boato Mirow De Mano Brown à Jay z, inspirações pra mc Sem ditar o melhor pra si, só o melhor de si 'Qualé fí' qualifique-se, admite os erros Desapegue, six six six é desespero! Sem causa perdida, somos tudo não sabendo de nada Não tenha medo de triângulos se o b.ó é uma quadrada Desacredite do mundo constrói o seu próprio Sem ser nobre esnobe fechando se em cofre Não se enforque, mulheres se toquem, Anitta me ligue Não se indigne, sem ser Notórious queremos ser big Com a mesma calça velha caindo e o Nike preto Moletom Thrasher barganhado, rapper não liga pra espelho Tomando ares quero a falsidade mordendo os calcanhares Quem sorrir nos bares não chora com nós nos lares Há milianos artistas criando cenários imaginários Não quero ser pago pra fazer o público de otário Falo merda pra carai mais mantenho minha moral Aqui é emergente mantendo informações com o celestial Deus não tem casa faço da minha casa ser de Deus Hó! Deus se eu tivesse um poder faria esse mundo inteiro ser seu... Refrão 2x Louco não consigo an*lisar os fatos Pra ter uma vida boa tenho que rever meus atos É preciso fazer algo pra sair do anonimato E mostrar pra todos que sou mais que um boato Aeón Desfocado no meio da sociedade anônima Um trago de honestidade e uma dose de parcimônia Insônia, que me cerca ao meu ver Que os escondidos só prezam por aparecer Só vai crescer quem descartar o ódio Vivendo realidade com os mais doidos e com os mais sóbrios Fazendo isso dando a cara a tapa Parei de acertar as questão pra acertar na lata E bico sujo já se entrega Se é peso que cêis quer? toma esse rap e sossega Com a mensagem eles aquieta o facho É que meu pai me ensinou a ser um sujeito macho Sensibilidade e sem dó, sem ser covarde Que o almoço do medo resolvi guardar pra mais tarde Sem alarde na sessão jão Sendo anônimo a**inando com o coração Em vão que não será o meu esforço Cavando fundo pra resgatar quem ta no poço Tensão no rosto de quem ta quieto Mais se eu to camuflado não quer dizer que eu to cego! Puro ego, deixei de ser orgulhoso Pra nas canções mostrar meu lado furioso Que me move, simples novato Procurando sair do anonimato... Refrão 2x Louco não consigo an*lisar os fatos Pra ter uma vida boa tenho que rever meus atos É preciso fazer algo pra sair do anonimato E mostrar pra todos que sou muito que um boato Dalua Muitos me cercam, rodeiam, olhares Por todos os lados e lugares que pa**ei Moldei meu perfil como avatares Pacato de costume, vivo imune a falsidade de vocês Corri descalço sorridente na ladeira Bobagem e brincadeira, envolvente no sereno Notei que a vida é breve e pa**ageira Quando as obrigações me limitam de notar o sereno E eu me vejo no busão, frio movimentação Conversa paralela sobre estrela de televisão E o céu solitário de atenção Nos doa toda noite, um estrelar exemplo de união Que não se notam, e em cada nota, anoto um verso sobre vida E canto pelo canto sofrimento da lida Em forma de poesia que em enriquece a canção pelo Anonimato é mato agora escutem nosso coração!